Parle portugais comigo présente Le Kiosque de Rita

Screenshot_2018-07-18 Bienvenue au Kiosque de Rita - Le Kiosque de Rita

Parle portugais comigo a le plaisir de vous présenter << Le Kiosque de Rita >>, une structure qui promeut les langues vivantes et qui organise des projections de cinéma en plein air sur un site avec étang et ombrages à côté de Rennes !

Pour les élèves d’un niveau avancé, lire en portugais est l’un des moyens les plus efficaces de développer son vocabulaire. C’est pour cela que nous vous proposons la lecture du texte ci-dessus, qui explique de manière poétique << Le Kiosque de Rita >>.

Os Recursos Humanos

— Eu não aguento mais isso! São combates perdidos dentro de uma instituição que tritura os bairros triturados. Fale-me da Bretanha!
— Escute, eu estou no meu pomar. Você viu as fotos?
— Sim, ele já está pronto para ser trabalhado. Isso me parecia inacreditável! A gente vê a cabana e o quiosque. Nós vemos que são magníficos!
— Será esplêndido: todos os amigos que estão cansados poderão vir para relaxar. Seus filhos vão curtir pescar e andar de barco no lago, você vai ver.
— É verdade.
— É preciso apenas que eu arrume 30.000 euros! Mas tudo está preparado. Mesmo para o cinema ao ar livre, eu já consegui as poltronas. São necessárias 40, mas você não tem ideia do número de pessoas na região que se livram das suas velhas poltronas, por meio do site donnons.org (doamos.org).
— Mas você compra tudo isso sozinha ou em grupo?
— Sozinha, né! A última coisa que eu quero neste momento é experimentar a horizontalidade, ainda mais sendo eu de fato a responsável pelo meu quiosque.
— Sim, eu te entendo.
— A equipe que vai instalar um cinema-bicicleta será remunerada, seja em dinheiro ou utilizando o terreno. Empresto o espaço para aqueles que queiram fazer coisas. Parece que essa é a moda, de salvar as baleias encalhadas nas praias. Ou as associações de tradução que queiram fazer um baile nos dias bonitos.
— E as subvenções?
— Eu não as quero. Eu quero é comprar meu terreno, projetar os filmes das amigas e convidar os amigos. Ir no meu ritmo também. Se eu pego dinheiro público, eu vou me tornar exigente, você sabe, por causa da Mnouchkine (diretora de teatro e cinema francesa). Quero ir devagar. Mas os financiamentos de terreno para lazer não são simples. A Maif (seguradora) me rejeitou. Ela quer me emprestar 100.000 para um apartamento, mas não 30.000 para um terreno. É muito ou não o suficiente. Eu não entendi bem.
— Adèle ri.
— Eu tenho um ex que tem grana em algum lugar na Ásia…
— Isso é bom!
— Sim, mas já faz 14 anos que eu não ligo para ele. Isso não se faz, né?
— Adèle se diverte.
— Não ouse apelar para os Recursos Humanos dizendo: « Eu tenho três filhos, por isso não posso me dar ao luxo de ter um burn-out ». O que é verdade, você tem três crianças e não pode permitir que um burn-out venha. Quanto a mim, eu tenho que ligar para o meu ex para saber como ele está e pedir os 30.000?
— A gente se diverte.
— Mas quem vive ao lado? Como são os vizinhos?
— Não tem muitos, é uma zona protegida. Ao Norte, tem um novo bairro, com cafés, subindo a pequena encosta para sair do pequeno vale. Ao Sul, tem o início das trilhas. Há uma bela casa, com seu antigo moinho à água, cuja família simpática me dará duas ovelhas. Ela quer comprar coletivamente outra parte da zona para fazer um (verdadeiro) pomar.
— Para que servem as ovelhas?
— Para cortar a grama.
— Ah sim. Compreendo. Bom, é preciso que eu saia de Paris com o Alex e as crianças.
— Sim. Eu te proponho de passar logo para o plano B, pulando o quadrado de burn-out no formulário. Ligue para Jean-Jacques Machin et Brigitte Truc às 14h e me diga como eles estão. É preciso achar a pessoa gentil e competente escondida no organograma. Do meu lado, eu tenho apenas uma escolha: encontrar um patrocinador. E eu não te disse: Caroline topa vir na primeira projeção!
— Na Ille-et-Vilaine? Não é muito longe do Canal Saint-Martin?
— Ela virá, ela quem disse.
— Então, isso quer dizer que é preciso se lançar, recolher todos os euros possíveis! Quando será a estreia?
— Na primavera de 2019, tranquilamente. Mas, quanto à Caroline, você acredita que ela iria mesmo fazer um passeio de barco?!

Pour écouter tout en lisant ce texte, cliquez sur le lien Kiosque de Rita.